Vinhos e mulheres – maturidade que harmoniza

O mundo dos vinhos definitivamente não apenas conquistou  os brasileiros, como vem fazendo deles exigentes consumidores.

Com um mercado promissor, muitos distribuidores e vinícolas foram introduzindo cursos, exposições e eventos, no início modestos e eu me refiro aos do começo da década passada, com a finalidade de educar, no sentido mais amplo, o paladar deste público para a mais celebre das bebidas.

Assim sendo mais e mais apreciadores passaram a respeitar o bom vinho e a distingui-lo em cada momento em a ser degustado. O valor de uma bebida produzida artesanalmente e que demanda anos até que esteja própria para nosso deleite ou a descontração de um jovem com frescor para momentos mais cotidianos.

Não demorou para que o público feminino também se organizasse a fim de usufruir de bons momentos regados a vinho,  com exclusividade e, lógico, com glamour.

Em Campinas um grupo cada vez maior me chamou atenção. Com encontros mensais em um dos melhores restaurantes da cidade, elas se reúnem em verdadeiro clima de festa, como a mulher merece. Roupas, cabelos, maquiagem e lá se vão porque hoje  a nossa noite é delas! Aliás no último ano minha também, porque tive o prazer de poder comparecer a vários destes encontros.

A decoração é cuidadosamente pensada de acordo com o tema do mês e não se repete. Pratos e vinhos harmonizam-se com delicadeza e ao mesmo tempo com força e potência homenageando as divas do evento. A cada mês , diferentes castas, diferentes aromas , harmonizações.

A Confraria Meia Taça já tem quatro anos e hoje é comandada pela cirurgião dentista Cassia Cavallari.

Amante da profissão, ela também sempre gostou de festas e de reunir pessoas e esta foi a intenção da confraria, porém apenas para mulheres.

As reuniões começam com uma apresentação, ou  aula  ministrada por um Sommelier onde é feita a degustação. Após o aprendizado, o jantar harmonizado com os vinhos da noite levando a viagens pela história e lugares do mundo. Os pratos são introduzidos em ordem com as harmonizações e tudo flui em clima de imenso prazer.

Se a gula é um pecado capital, perdoem-nos, mas nós o cometemos e ainda digo que não só mensalmente. A confraria também realiza viagens.

Este ano parte do grupo foi a Portugal e esta não é a primeira a ventura a vinículos do mundo. Também já estiveram em Mendoza – Argentina e em Montevidéo e Punta del Este – Uruguay. Nestes eventos abre-se uma exceção para os homens como acompanhantes de suas confreiras, estreitando vínculos e fortalecendo o grupo.

A Confraria também oferece cursos específicos, onde os temas são abordados com mais profundidade e não interferem nos encontros mensais.

Com tanto sucesso da Confraria Meia Taça Campinas, foi criado o “Clube de Vantagens Confraria Meia Taça“ onde vários parceiros oferecem benefícios as Confreiras.

Ou seja, mulheres são um público que sabe fazer jus a multifuncionalidade. Com um único intuito de apreciar vinhos acabou-se criando um foco de entretenimento, benefícios e muito prazer.

Um brinde merecido! E que todas nós levantemos nossas taças. Ou melhor diria, uma meia taça!

Confraria Meia Taça Campinas

@confrariameiatacacampinas

Fazenda Benedetti

A dica de #lugarzinhos hoje é a Fazenda Benedetti em Amparo-SP.

Com mais de noventa anos de tradição e que hoje produz a premiada cachaça Flor da Montanha Prata.
O lugar onde no tempo dos imigrantes italianos, era dedicado apenas ao plantio do
café e da cana de açúcar hoje, encontramos a quarta geração de família que está a frente
da fazenda, produzindo cachaça, vinho, suco de uva, doces caseiros e alguns embutidos.

Mas o passado pode ser visitado na Fazenda Benedetti a mesma onde toda essa
história começou pode ser conferida na casa grande, no terreiro para secar o café, e
a família está com um projeto de transformar toda a fazenda em um museu, já que
tudo lá tem história.

A cachaça é produzida em alambiques de cobre, colheita da cana na palha e
envelhecida em tonéis de amendoim e jequitibá rosa. Com aroma e paladar marcante, a
aguardente Flor da Montanha recebeu selo ouro no concurso mundial de destilados, em
Bruxelas.

Pode-se degustar outros tipos também como a cachaça adoçada, armazenada em tonéis
de carvalho com um sabor bem marcante. Cachaças adoçadas, geralmente, são aquelas
mais licorosas, que têm frutas na composição. Como o whisky também é envelhecido
em Carvalho, quem gosta da bebida, tende a gostar de cachaças armazenadas em
Carvalho, já que a madeira fica bem perceptível no sabor da cachaça.Euparticularmente não gosto de whisky, mas aprecio bastante este tipo de cachaça.

Entre maio e setembro é possível acompanhar o processo de produção da bebida.Além da cachaça há mel, vinagres, doces caseiros, queijos e linguiças deliciosos e ainda
desfrutar de um passeio deslumbrante e cultural.

Vale a pena conferir.

 


Fazenda Benedetti
Circuito das Águas – Rodovia Amparo/Serra Negra
SP-360 KM 138
Bairro dos Almeidas, Amparo.

Sabe o que é Chlorella?

Com o Verão sempre chegam novidades e informações. Desde a última
estação tenho ouvido muito falar na Chlorella, muito usada pelas bloguers para
secar o corpo. Mas foi em um workshop com o nutricionista Luciano Bruno que a
curiosidade despertou e comecei a pesquisar para entender.

Chlorella é uma microalga de água doce de elevado valor nutritivo que pode ser
usada para estimular o sistema imune, e não apenas para emagrecer, ou secar,
sendo indicada também para combater problemas gastrointestinais e doenças
degenerativas. Seu nome científico é Chlorella Vulgaris e pode ser comprada em
lojas de produtos naturais e em algumas farmácias de manipulação.
Pode ser encontrada na forma de extrato, pó, tabletes ou cápsulas, e traz os
seguintes benefícios para a saúde:

1. Favorecer o ganho de massa muscular, pois é rica em proteínas e contém
os BCAAs;
2. Prevenir anemia e cãibras, pois é rica em vitamina B12, ferro e vitamina C;
3. Melhorar a pele e os cabelos, por ser rica em beta-caroteno e vitamina C;
4. Reduzir a inflamação, pois contém ômega-3;
5. Desintoxicar, pois a ajuda a eliminar metais pesados do organismo;
6. Reduzir o colesterol, pois contém niacina, fibras e antioxidantes;
7. Controlar a pressão alta, por conter nutrientes como arginina, cálcio, potássio
e ômega-3, que ajudam a relaxar os vasos sanguíneos.
É importante lembrar que os benefícios da clorella só são obtidos quando esta alga
é consumida na forma de suplemento, pois a alga in natura não é digerida pelo
intestino.

A dose recomendada deve ser a indicada pelo nutricionista e não estão descritos
efeitos colaterais, mas o excesso pode causar diarreia, coceira e erupção na pele.
Também não são conhecidas contraindicações da Chlorella, no entanto, mulheres
grávidas, em fase de aleitamento ou crianças, devem consultar um nutricionista
antes de iniciar sua ingestão.

Já que é para suplementar, então vamos de produtos naturais, extratos de plantas
e ainda mais quando são bem recomendados.

Síndrome do pânico – avião

Faz algum tempo que não escrevo sobre nada e hoje me lembrei de um momento bem
difícil que tive que enfrentar anos atrás, o pânico.

A síndrome do pânico afeta um grande número de pessoas e de diversas formas.
Algumas não saem de casa a noite, outras não conseguem dirigir e uma forma bem
comum, ou mais visível é o medo de avião.

Deixei de fazer muitas viagens sonhadas na minha vida por medo de avião, até os meus
trinta e seis anos, quando decidi enfrenta-lo.
A concretização da síndrome se deu quando tive uma crise em um voo e duas
comissárias tiveram que me acalmar até que eu desembarcasse no aeroporto mais
próximo. Situação constrangedora, pois além do choro descontrolado que
provávelmente assustou os demais passageiros, ainda teve o atraso, pois tiveram que
procurar minha bagagem para que a mesma desembarcasse comigo. Enfim, perdi a
viagem e um pouco da fé em mim mesma. Foi desnorteante, me senti derrotada.

Mas o que era o pânico? Medo de morrer? Um pouco, mas o principal, no meu caso, era
sentir-me impotente em um espaço confinado onde eu não tinha o menor controle da
situação.

Vejamos da seguinte forma: quando dirigimos um veículo em uma auto estrada ou em
centros urbanos, temos a “falsa” crença de controle da situação, afinal são inúmeros
fatores de risco a nossa volta dos quais não temos absoluto meio de administrar a não
ser a nós mesmos.
Detectado este fator causal me restava o enfrentamento. E assim me aventurei. Mais
uma vez afirmo aqui para vocês, busquei ajuda profissional com psicólogo e psiquiatra.
O pânico raramente é administrado sem medicação própria, principalmente no início.
Outra coisa muito importante sobre medicação é que as pessoas a consideram um
demérito e não é nada disso! A medicina pesquisa há séculos para nos proporcionar
qualidade de vida e os ansioliticos estão ai para isto mesmo, desde que bem
administrados.

Então fiz minha primeira viagem a fim de vencer o pânico para Porto Seguro, super em
alta na época, era um réveillon e eu ainda fui sozinha- sempre fui muito independente!
Pois é, só e com muito medo, mas fui, era meu momento.
Partimos de Guarulhos e uns trinta minutos antes do embarque eu tomei o meu
ansiolítico. Mesmo assim durante o voo eu rezei muito, desesperadamente para ser
sincera, minhas mãos transpiraram, tive um pouco de taquicardia, meus lábios
amorteceram e chorei baixinho.
Chegamos no aeroporto e aquela famosa sensação de vitória, mesclada a zoeira da
medicação, me veio e eu experimentei a liberdade de ter escolhido meu destino e de tê-
lo alcançado. Aproveitei divinamente meu feriado de ano novo, sem pensar que na volta
e no que teria que enfrentar de novo.

Óbvio que o mesmo aconteceu no retorno, todas as reações do voo de ida, mas com um
pequeno diferencial. Ao nos aproximarmos de São Paulo- eu falei que era Guarulhos,
lembra-se? – já era noite e a cidade estava linda e eu encontrei um espaço dentro daquele
meu desespero para contemplar a beleza das luzes que deixavam a cidade tão dura em
um tom dourado. O medo havia dado uma brecha a contemplação e isto era um bom
sinal.

E assim fui caminhando, ou melhor voando. No início pequenas distâncias, voos de
quarenta minutos, uma hora, duas, nada é de repente em se tratando de temores tão
graves. Até que cheguei na Europa, meu sonho de adolescente. Me lembro bem de ter
chorado quando subi na Torre Eiffel, como eu desejara aquela viagem! Com remédios e
depois com uma taça de vinho , até que sem precisar de mais nada eu fui buscando
novas rotas.

Aprendi a prestar menos atenção no medo e observar mais a paisagem da janela, até
hoje não me enjoei de ficar olhando e também aprendi a apreciar a obra de engenharia
maravilhosa que é uma aeronave, afinal é ela, a engenharia que nos leva as alturas.
Sempre na decolagem fico atenta ao esforço daqueles motores vencendo a gravidade e
uma aterrisagem bonita também me chama atenção. Então como uma criança eu me
torno fã do comandante, dos engenheiros e de toda humanidade.
Matemática, física, mecânica, ciências exatas dominadas pelo homem em um raciocínio
brilhante e persistente, que tornaram nosso mundo menor, mais acessível, mais
conhecido, mais admirado e admirável. Passar a observar tudo isto tornou-se uma
maneira bem mais agradável do que focar nas minhas mãos trêmulas.

Vencer o medo de voar me agregou outras vitórias ao longo do tempo, afinal o que mais
poderia me deter? E assim fui vencendo os demais temores e me fortalecendo no sentido
de me conhecer melhor, respeitar minhas limitações, entender o mecanismo delas até o
momento adequado para enfrenta-las.

A grande e interessante vantagem deste crescimento pessoal é que ainda tenho muitas
limitações a vencer e isto torna minha vida desafiadora e motivada, sempre.
Até hoje carrego comigo nas viagens o ansiolítico, pois uma limitação a ser respeitada é
que o pânico é algo que controlamos e não derrotamos, portando jamais deve ser
subestimado, pois ele ainda reside dentro de nós. Não posso garantir que nunca mais
precisarei de remediozinho para enfrentar um voo.

Espírito Santo do Pinhal #lugarzinhos

Município do estado de São Paulo, com população inferior a 50.000 habitantes, que originou-se de uma enorme fazenda dominada pela araucária.
Com uma paisagem que remete a Toscana, a região tem o inverno seco, com frequentes
entradas de frentes frias. As temperaturas máximas ficam em torno de 18-23 °C em
junho e julho, e as tardes acontecem raros casos não passam de 10 °C.
Embora conhecida tradicionalmente pela Cadeia do Café, é pela produção de vinhos
artesanais que vem se destacando.
Lá a vinícola Guaspari encontrou o terroir ideal, associado a uma técnica nova de
colheita, que vem sendo utilizada no estado de São Paulo, para produção de seus vinhos.
Os resultados foram bem sucedidos pois a vinícola possui dois deles premiados na Decanter World Wine Awards, o maior e mais importante concurso internacional de
vinhos, recebendo medalha de ouro pelo Syrah Vista do Chá 2012 e medalha de bronze
pelo Syrah Vista da Serra 2012.

O terreno onde se localiza a vinícola é bem íngreme ecada vinho recebe o nome da vista oferecida pelo local onde a uva é cultivada- vista da serra, vista do chá.
A vinícola não possui restaurante, mas a cidade oferece ótimas opções.
E foi em um dia fazendo a visita a esta vinícola que me dediquei ao passeio pela
encantadora cidade para conhecer mais um lugarzinho próximo de casa- de São Paulo
são 200km.
Entre os meses de agosto e setembro acontece o Festival do Sabor com doces feitos com
café, salgados a base de mandioca. Acompanhe a programação turística da cidade e
visite, vale a pena.
Todos os anos no mês de outubro a Festa Nacional do Café. Na programação, shows
para todos os gostos, boate itinerante, praça de alimentação e exposição de produtos
agrícolas e industriais.
Como amante declarada de um bom café e curiosa em confirmar a tradição local-
Pinhal sempre se destacou como origem predominantemente dos chamados cafés finos,
que são procurados pelos importadores mais exigentes, não deixei de conhecer o Café
Loretto – A Santa Casa do Café, localizado próximo a igreja matriz.

Lugarzinho aconchegante, uma casa bem típica de cidade pequena, decorada graciosamente, onde pode-se sentar calmamente e degustar um excelente café acompanhado de maravilhosos quitutes e atendimento caloroso.Lógico que eu trouxe várias amostras do saborosíssimo café comigo, inclusive nas três versos, em pó, grão e cápsulas.
Como toda cidadezinha do interior, tudo acontece em torno da Igreja Matriz do Divino,
que não pode deixar de ser visitada. Belíssima obra, recentemente restaurada, merece
uma pausa para oração e admiração.
Logo em frete a Praça da Independência, muito bem cuidada, cercada de casarões do
tempo do café e com todo aquele charme que a tranquilidade interiorana tras. É bom
sentar-se por ali uns minutinhos e ver como a vida pode passar mais lentamente.

O Lago Municipal fica no centro da cidade e preserva ainda um pouco da mata natural
com árvores centenárias e oferece, além da bela paisagem um excelente local para
passeios, caminhadas e piquenique nos dias de sol. Também possui ciclovia e a entrada
é gratuita.
Outro ponto bem procurado é o Santuário de Santa Luzia. Na área rural, Cercada por
cafezais é muito procurada pelos fiéis.
O Teatro Avenida é realmente um ponto alto, pela arquitetura, acústica e iluminação, é
mais um patrimônio da cidade.
Também existem opções de ótimas pousadas, o Jardim dos Pinhais Eco Parque, o primeiro parque de jardins temáticos do Brasil possui rica fauna nativa composta por Tucanos de Peito Amarelo, araras, faisão, pavões, coelhos, além de gazebo zen para
meditação, cascatas e facilidades, como restaurantes e turismo rural para quem quer
passar alguns dias e isto é uma ótima escolha.
De uma forma ou de outra eu recomendo este #lugarzinho.

Correr depois dos 50, pode?

A corrida é uma excelente atividade física, tanto para o corpo como para a mente.

Uma vez que pode ser praticada ao ar livre, geralmente em parque e ruas,  permite sua interação com a paisagem e o movimento que acontece a sua volta.

Pode ser praticada por qualquer indivíduo, que esteja apto a realizar atividade física.  Não exige alto investimento além de um bom par de tênis e roupas leves.

Para aqueles que já caminham e possuem melhor condicionamento, a corrida passa a ser natural, pois o esforço exigido para manter a mesma frequência cardíaca no treino obriga a acelerar o passo.

Mas se você é sedentário e deseja iniciar nesta prática lembre-se que alguns cuidados
são necessários, principalmente após os cinquenta.

Peça ao seu médico exames para identificar possíveis doenças ou limitações físicas que
impeçam a prática da corrida. Uma consulta ao nutricionista também é indicado a fim
de detectar possíveis problemas de deficiência alimentar e também melhorar a sua
performance.

O ideal é ter um profissional da área de educação física para determinar seu treino de
acordo com sua capacidade.

De qualquer forma o início deve ser lento. Comece com
caminhadas. Depois de um tempo, passos mais rápidos e em seguida a corrida. Como
seu preparo físico não é bom, corra no máximo durante 1 minuto. Em seguida volta para
caminhada, descanse bem e volte a correr por mais 1 minuto.
Isso pode ser feito 3 vezes por semana durante 20 minutos. Após adquirir o hábito e
quando seu condicionamento físico estiver melhor, pode aumentar para 30 minutos ou
no máximo 45 minutos.

Mas não se esqueça que ao optar pela corrida deverá acrescentar também a musculação para fortalecer os músculos, evitar lesões e tornar a corrida mais fácil.

Lembre-se que não há necessidade de correr todos os dias.
Fique atento a alimentação. Antes de correr o ideal é consumir alimentos ricos em
carboidratos com baixo índice glicêmico, ou seja, carboidratos que são absorvidos
lentamente pelo organismo. Assim, eles serão liberados aos poucos durante a corrida,
evitando-se a hipoglicemia (queda da taxa de glicose no sangue).

Após a corrida, é muito importante que se façam alongamentos, também para evitar
lesões. Além disso, deve-se beber líquidos como água de coco ou água com limão para
hidratar o corpo e fazer uma refeição leve para repor os nutrientes perdidos.

Cheesecake lowcarb

Para matar a vontade de doces de maneira saudável

  • 600g de ricota caseira
  • 03 ovos
  • 220g de creme de leite
  • 01 de medida essência de baunilha 
  • 120g de adoçante forno e fogão 
  • 1/2 x de Castanhas do Pará picadas
  • Geleia de morango sem açúcar para cobrir
Bata tudo no liquidificador.
Coloque em forma untada de fundo removível com as castanhas grosseiramente picadas e leve ao forno para assar por 30 min à 200º
Depois leve para gelar por 4 horas.
Por fim, cubra com geleia de morango sem açúcar.

Modelando aos cinquenta? Sim e com muito orgulho!

Cada vez mais as agências buscam modelos maduras, plus size, negras. Razão disto? A
realidade bateu a porta!

O mundo não é feito apenas de mulheres jovens, com formas perfeitas, cabelos lindos e
sedosos, pele lisa, bem tratada, fresca e branca, mas de mulheres como nós, que envelhecemos sim, mas formamos um imenso mercado disposto e usufruir do que há de
melhor porque ainda temos muita sede de vida.

Eu me lembro quando me aventurei na ideia de blog e ouvi a seguinte frase: O que você
esta pensando? Velha se achando moça, se enxerga!

Seria hipócrita se dissesse que ignorei, pois sou maior que isto, mentira! Doeu muito e
mais, quase me fez desistir. Por que? Simples. Eu estava me considerando dentro
daquelas palavras tão horríveis.

Mas eu via tantas mulheres lindas, no auge de sua maturidade, em momentos únicos e
até sensuais. O que elas tinham e eu não? Nada, absolutamente, nada!
Eu tenho tudo o que elas tem e você que esta aqui deixando um pouco do seu tempo
comigo também tem.

Velha era, literalmente, sua avó, lembra? Tão bonitinha, cabelinhos brancos e fazendo
bolos quando você ia visitar. Pois nos dias de hoje estamos muito distantes disso.

Tenho muitas amigas que já são avós dedicadíssimas e orgulhosas, mas a anos luz
distantes daquele perfil antigo. Hoje os cinquenta são os novos trinta.

Estamos realizadas, com a sensação de dever cumprido e prontas para o que vier e, de
preferência, do que for melhor. Queremos o bom da vida e agora com ponderação e
experiência. Tudo vem ao seu tempo, sem pressa, sem desespero e com isto estamos
conquistando um mundo real.

Hoje me dou o direito de fotografar, de posar e de ir perdendo aquela timidez diante de
uma câmera. Me dei de presente a honra de ser uma cinquentona bem resolvida.
E que venham os setenta, porque quando eu chegar lá eles serão os novos cinquenta!

Fotos: Jonas Morais Fotografia

Instagram: jonasmoarisfotografia

Os hormônios vão bem, obrigada.

E na hora de falar em longevidade  e vida saudável, é comum citarmos alimentação
aliada a prática de atividade física regular.  Porém, de forma espantosa, o assunto
“hormônios” ainda é vetado socialmente.

Várias vezes me questionei e cheguei a própria conclusão: reposição do hormônio feminino é geralmente, na menopausa e esta associada ao envelhecimento. Isso é um crime, na sociedade de hoje, que poucas pessoas querem assumir.
Minha proposta é falar com “mulheres reais” e devo ser fiel a isto, então vamos lá.
Iniciei a reposição do estrogênio aos 42, dois após a histerectomia(retirada do útero), por sugestão da minha ginecologista que, analisando os resultados dos meus exames de sangue me informou que eu estaria entrando em uma pré-menopausa, aquela situação em que você menstrua um mês e no outro não, mais ou menos assim e se quisesse poderia iniciar a reposição.
Os benéficos? Bem, não pergunte o que são os calores da menopausa, ou outros
sintomas como depressão e a famosa “barriga de vovó”, não vou saber explicar.
Os contras? Apenas nos primeiros três meses tive um pouco de retenção hídrica, até a
adaptação do organismo ao hormônio, o que foi controlado com sessões de drenagem
linfática. No meu caso apenas isso.

 
Óbvio que cada caso é único e que você não irá iniciar seu tratamento baseado em um
post de internet, mas buscar um profissional, informar-se e ver se suas condições lhe
permitem a reposição, isto sim eu aconselho.

 
Qualquer deficiência hormonal é passível de reposição, então por que o preconceito? A
ciência hoje nos dá a segurança de fazer uso deles sem prejuízo.

 
Eu, deliberadamente roubei do blog da Dra Juliana Gabriel algumas informações que
compartilho aqui, como “a segurança da reposição hormonal feminina vem crescendo
cada vez mais, em especial quando são usados os hormônios humanos, aqueles mais
próximos dos hormônios produzidos naturalmente pelos ovários.

 
Então vamos ao famoso indicado/contra indicado, que nós adoramos.

 
A reposição hormonal está indicada para:
 Alívio dos sintomas da menopausa (ondas de calor, alteração do humor, etc);
 Conservação do trofismo vaginal (lubrificação);
 Preservação do osso (prevenção e tratamento de osteoporose) e da pele;
 Melhora do bem-estar geral;
 Melhora da sexualidade.

 
A reposição está contra indicada:
 Existe a presença de tumores que dependam de estrogênios, como os de mama e
endométrio, em atividade ou recentes;
 Tromboembolismo agudo (obstrução de um vaso sanguíneo por um coágulo);

 Exame que detecte Trombofilia – uma tendência a fazer tromboembolismo – com
resultado positivo (devido à hereditariedade, doenças auto-imunes ou malignidade);
 História comprovada de tromboembolismo prévio;
 Sangramento vaginal ou lesões do endométrio, identificadas à ultra-sonografia
transvaginal, ou das mamas, não esclarecidas e à mamografia;
 Doenças do fígado, principalmente quando a THM é feita por via oral.”

 
Este post não tem intenção de recomendar o que deve ser feito, mas de compartilhar
uma coisa que considero importante no que diz respeito a envelhecer com qualidade de
vida.

Mas o que posso recomendar com certeza uma boa leitura a respeito em
www.drajulianagabriel.com.br
Vamos nos lembrar sempre de que o objetivo é envelhecer bem, com saúde e qualidade
de vida. Esta deve ser nossa grande meta.

 

Fonte: Dra Juliana Gabriel
http://www.drajulianagabriel.com.br

Bolinhas de Aveia e Pasta de Amendoin

Bolinhas de Aveia e Pasta de Amendoim, muito simples de fazer e vão muito bem à tarde com cafezinho.

Totalmente sem culpa!

  • 2x aveia
    2cs chocolate em pó 100% Cacau
    2cs Pasta de amendoim 
    2cs adoçante culinário em pó
    1 medida de essência de baunilha
    4cs óleo de coco
    2cs água

Com exceção da água, junto tudo em um bol e vá misturando com a ponta dos dedos. Coloque  a água aos poucos até dar liga para enrolar.
Faça bolinhas e guarde na geladeira.

23032702_1493655337336311_3725843634452513383_n