Uma tarde no museu #lugarzinhos

Curitiba é uma cidade que em hipótese alguma pode ser chamada de lugarzinho.

Com quase 2.000.000 de habitantes é a  mais populosa do Paraná. Sem falar nos inúmeros pontos turísticos, a gastronomia, cultura e muitas opções de lazer.

O museu Oscar Niemeyer – MON – é um dos atrativos turísticos muito visitados e este sim eu quis compartilhar como #lugarzinho e vou me explicar o porquê.

Estive em Curitiba por várias vezes, mas nunca o tempo suficiente para visitar todos os pontos turísticos da cidade. Lembrando que para percorrê-los você pode utilizar a linha de ônibus especial e , por $ 45,00, percorrer quase todos eles e com direito a 4 descidas. A cada 15 minutos há um veículo passando e você pode continuar seu passeio.

Então, todas as vezes que vou a cidade eu faço este percurso, as vezes apenas com a intenção de apreciar, se o tempo não for suficiente para descer e fazer visitas, pois mesmo assim é encantador.

Nesta minha última ida a Curitiba seria praticamente apenas um dia livre. Chegaria numa sexta as 22:30H e voltaria no domingo as 11:10h fui determinada a ir a dois pontos turísticos onde ainda não havia explorado, comer novamente o melhor marreco reachado que já havia comido, no Bar do Alemão – Largo da Ordem e conhecer um novo restaurante no sábado a noite e um deles era o museu. Qual não foi minha surpresa. Acabei ficando lá por quase cinco horas.

Minha primeira impressão ao passar em frente foi daquela  característica reconhecida das obras do arquiteto e isto já é o início de um processo de reverência e admiração pelo poeta do concreto

Passando pela cancela de entrada avistei um grande número de pessoas usufruindo do belo jardim. Crianças brincando, pais e casais com cangas estendidas na grama observando o dia e isto é gratificante. Visitar as praças deveria ser um hábito mais praticado pelo brasileiro.

No pavimento térreo há um café aconchegante e elegante e que oferece também refeições, a bilheteria e um salão para eventos.

O primeiro piso, com nove salas de exposições abriga a maioria delas e lá comecei a me perder no tempo.

A sala 2 abriga as obras sob a guarda do museu, apreendidas na operação Lava-Jato e este é um momento histórico.

O subsolo abriga a exposição permanente de objetos, fotos e maquetes e obras do arquiteto, batizado de Espaço Niemeyer. Há também um pequeno auditório e uma sala expositiva Galeria Niemeyer e o espaço da ação educativa onde são realizados cursos e oficinas e o pateo das esculturas que abriga a exposição permanente de obras que pertencem ao museu.

O anexo chamado de Olho tem acesso por um túnel todo branco, de formas arredondadas e iluminação indireta, dando a sensação de que adentramos em um filme futurista. Tem 30 m de altura e é composto por quatro pavimentos.

O salão principal, com  aproximadamente 1.500 m2 para exposições, um mini auditório e o Espaço Araucária.

 Ao passar pela porta de saida me dei conta de que a visita foi um brinde a arte, ao bom gosto, a leveza, a genialidade e que tudo reunido em um único espaço rodeado de natureza pacífica, mesmo estando em um centro urbano fazem do MON uma excelente opção de #lugarzinho para se passar um dia muito prazeroso.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s