Street Style e a meia arrastão. Veja o que é tendência

Controversa desde seu lançamento, a meia arrastão tornou-se bastante popular entre as dançarinas de can-can de Paris, e, durante muito tempo foi considerada um item de extremo mau gosto, porque, diferente das outras meias da época, ela deixava à mostra a pele de quem a vestia. No entanto, foi esse pequeno detalhe que popularizou-a no o cenário da dança.

Como na época as meias comuns eram confeccionadas em seda e rayon, elas não permitiam que a pele transpirasse e  não possuíam elasticidade alguma, dificultando os movimentos. Por esse motivo, os furos da meia arrastão rapidamente a transformaram em uma opção mais confortável e funcional para as dançarinas. 47b799_88ac7193c0d64ac78683de77a8181caf-mv2

Com a obsessão pelas pin ups tomando conta da cultura norte-americana na década de 1950, elas logo foram incorporadas no imaginário nacional, carregadas de sensualidade e elevadas ao status de símbolo sexual por figuras como Bettie Page e Marilyn Monroe.

Algumas décadas depois, quando o movimento punk tornou-se popular nos anos 1970, ele trouxe consigo uma estética bastante peculiar. Modificações corporais, moicanos, muito couro, jeans rasgados, pactches e roupas cheias de referência ao BDSM faziam parte dos looks dos jovens que subvertiam a ordem e pouco ligavam para as convenções sociais.

Nessa época, as meias arrastão voltaram com toda a força e logo passaram a ser abraçadas também pelo mainstream, tendo o auge da sua popularidade na década de 1980, com um empurrãozinho da cantora Madonna. O sucesso foi tanto que a meia arrastão ganhou até música em sua homenagem: Fishnet, do cantor Morris Day.

Tão carregada de simbologia, é natural que até hoje a meia calça arrastão cause um pouquinho de estranheza e há quem torça o nariz à primeira menção de seu nome. Porém, de uns anos pra cá, ela tem se tornado cada vez mais presente nas fotos de street style pelo mundo afora, além de ser figurinha carimbada nos shows de cantoras como Beyoncé e Rihanna.

Da rua para as passarelas, foi nos desfiles internacionais de 2016 que a meia arrastão ganhou um novo significado, mais cool e menos sexy, aparecendo em variações interessantes nas coleções de grifes.

Aproveite a dica e divirta-se!

Ser elegante

Elegância não se discute. Desculpe queridinha, mas discordo.

Ao contrário de gosto, tendências, opções ou qualquer outra alternativa,  a elegância é algo harmônico, como diz a definição, é a qualidade de ser elegante.

Independente do meio cultural ou  social a elegância destaca-se pelo fato do conjunto entre formas e comportamentos serem harmoniosos. IMG_2906

O bom gosto há que ser considerado levando em conta costumes do meio onde se frequenta, sem dúvida.

A elegância transcende idade ou poder aquisitivo, ao contrário , a simplicidade é uma de suas características. Eu digo ainda que é nata. Claro que pode-se educar a pessoa a ser elegante introduzindo padrões de acordo com o ambiente cultural em que vive.

Ao contrário da beleza, a elegância perpetua e torna-se uma marca, um selo da personalidade individual. Não carrega o peso dos padrões por ter personalidade própria e geralmente é característica de mulheres poderosas.

E não fique pensando que elegância é apenas sinônimo de terninhos sóbrios e bem cortados.

Vai de abadá?

Abadá pode se referir a vários itens de vestuário: um tipo de bata ou túnica branca usada pelos muçulmanos que aportavam no Brasil como escravos, o uniforme dos trabalhadores portuários no Brasil, as calças usadas pelos capoeiristas ou uma camisa vendida em um carnaval ou produção teatral para promover o evento. 47b799_4f2903bbdfee4d67a5b422858888684c-mv2

É uma palavra de origem africana, do yorubá, trazida pelos negros malês para a Bahia.

Lançado como tipo de fantasia em bloco de carnaval acabou por se popularizar e hoje é sucesso em todo Brasil.

Em época de carnaval, por onde quer que se vá podemos observar grupos formados por cores saltitando em torno de trios e bandas.

Ninguém quer ficar de fora, mas todo mundo quer ser diferente e daí começaram a triunfar as costumizações.

No começo o que era uma simples tesourada, a fim de acomodar melhor o tamanho das vestimentas, acabou por se enriquecer em detalhes como strass, purpurina, pedrarias, babados e rendas.

Mulheres famosas e celebridades disputam o abadá melhor customizado, ou o mais exclusivo.

O que importa mesmo é a alegria e o conforto.

E ai, qual será o seu abadá este ano?

As cores do frio

Não que o preto perderá seu lugar de glória, jamais! Mas a última semana de moda de Nova York mostrou que é possível investir nas cores para compor um visual quentinho e de acordo com a estação do ano.

Arrepia falar em inverno com este calorão não é? Então vamos ver o que anda pelas calçadas do mundo e refrescar um pouco! 47b799_9e3a1079fa234ad3a73df82a8f3a50df-mv2

Conforme o street style norte-americano, é possível ver que tons mais chamativos alegram a produção e aparecem com frequência nos looks das fashionistas.

Os casacos foram uma peça-chave nessa nova onda e se tornaram o destaque da produção com cores que quebravam a sobriedade do look invernal. Modelos mais volumosos e compridos com cores vibrantes dominaram as ruas.

O mais legal é que nessa nova onda não existem regras: cada mulher usa o tom que gosta e combina da forma que se sente mais confortável. O que se vê nas ruas é uma constante mistura de cores, como o verde com o magenta, o amarelo com o azul e até o verde com o amarelo.

Falando nisso, as mulheres que não investiram em casacos coloridos usaram os acessórios, como sapatos e bolsas, para colocar esse ponto de cor no look. Essa também é uma maneira simples e fácil de dar um UP na produção e deixá-la com um ar mais divertido.

 

 

 

Vai de gloss?

Para muitos os dias de sol são os mais esperados, e a maquiagem para esses meses promete um bom jogo de luz e sombra.

O minimalismo tomou conta das passarelas e maquiagens mais leves e que dão grande evidência para o rosto tiveram destaque.

Os batons escolhidos eram bem discretos com exceção do tom vermelho que parece estar sempre em evidência e o gloss parece que veio com tudo.

Tendência forte deste ano consiste em investir em um tom iluminado no seu rosto.

A maquiagem com cores mais delicadas e iluminadas são sempre um caminho certo, dando um ar mais fresh para a pele.

Em tempos de festa, como o carnaval, não tenha medo de se jogar no glitter! Mas para quem tem medo de adotar pós e brilhos no dia a dia não ficar de fora deste trend, uma boa alternativa é apelar para o gloss.

Para os lábios, independente da cor que seja, o importante é que tenha bastante volume e seja marcado pelo brilho do gloss labial.

Então, aposte naquele que já foi o hit da sua nécessaire e arrase no verão!

 

 

“Mom Jeans”

Hit da temporada, “mom jeans” parece que voltou para assombrar.
Com shape “semi-baggy”, a calça que surgiu nos anos 80 e cujas fotos escondemos a sete chaves, ressuscita no mundo fashion nesta temporada.
Mas dá para fazer desta tendência uma parceira amiga.
O segredo esta na hora de usá-la.
Em primeiro lugar veja se o corte favorece o seu biotipo, pois cintura alta e larguinha nas pernas não vai muito bem com todas .

Depois procure combinar com camisas ricas em detalhes, babadinhos, coletes e, para finalizar o look , ele que também retornou ao podium, o tênis branco, dá um charme de despojamento .

Veja algumas sugestões e como caem bem em qualquer idade!

Os Patches estão de volta!

Nos lembramos muito bem deles mas muita gente não sabe o que é. Os patches, adesivos termocolantes, estão de volta. Sucesso absoluto nos anos 70, eles reaparecem como hit da temporada entre os fashionistas. Arquivo_006

Alegres, divertidos, românticos, aplicados em jeans, jaquetas, bolsas, vão nos remetendo ao clima de paz e amor, já tão cultuado.

Lembrando que nunca deixaram de ser usados por alguns grupos como motociclistas, aviadores e são um charme a mais em qualquer look despojado.

Não há limites para a imaginação, ainda mais quando esta nos remete a adolescência , quando saíamos pela cidade à caça deles , pois não tínhamos a facilidade que a internet proporciona hoje.

Os patches personalizam as roupas e acessórios tornando-os exclusivos, passam a ser sua assinatura. Então, melhor do que adquirir as peças já prontas é sair em busca dos adesivos que mais lhe agradam e deixar sua imaginação fluir.

As peças customizado vão bem com looks básicos, com couro, com salto, de dia ou de noite e podem ser usadas por todos, sem limite de idade ou sexo.

Jaquetas masculinas ficam lindíssimas com patches e confere um charme a parte.

As ruas já foram invadidas e em muitas lojas você já pode encontrar os queridinhos do momento.

Então que tal pegar aquela peça que você já não usa há duas estações e deixa-la super atual, com a sua cara?

Posso usar preto no Verão?

O tecido correto é o mais importante para definir se a roupa será ou não apta ao clima. Mesmo em dias mais ensolarados ou em cidades com o clima nada ameno, o visual “black” pode ser cultuado sem restrições.

O ideal é optar por tecidos compostos de fibras naturais, que são mais leves e fresquinhos, pois permitem que o corpo respire melhor. Prefira as modelagens amplas. Roupas justas e coladas ao corpo dão a impressão de passar mais calor. IMG_2723

Insira cores se quiser fugir do all black. Estampas com fundo preto irão conferir estilo personalidade.

De qualquer forma em meio a inúmeras peças ele vai estar lá, pode apostar. O “pretinho básico”, que muitas vezes salva o look nas mais diferentes ocasiões, é um curinga que está frequentemente associado ao luxo e à elegância e ao poder !

Tente se lembrar de mulheres poderosas e a primeira imagem que lhe virá será deles usando preto ! Ele pode vir em saias, camisas, vestidos… E a roupa preta ainda pode afinar a silhueta. Não à toa, os vestidos e macacões deste tom seduzem famosas e sempre caem no gosto do público.

O p&b também é um clássico aliado a elegância e sofisticação em qualquer lugar .

Fotos : Clube Morena Rosa Campinas

Instagram: clubemorenarosacampinas

 

Correndo para o Salão

Quem não se lembra da fala da atriz Lilia Cabral no filme Divã “repica Renê, repica” – não sabe o que é correr para o salão na ânsia de mudar a aparência, lógico , sair de lá mais linda e mais jovem.  Arquivo_001 (1)

Acontece com mais frequência do que imaginamos, que o resultado nem sempre é o esperado. O sucesso da dupla ansiedade e cabelo pretendido nem sempre é garantido.

Então melhor é optar por um estudo antes de se atirar na primeira tesoura, ou no primeiro tubo de tinta.

Algumas dicas são interessantes de serem observadas, principalmente lembrando que estamos em mudança de estação e isto pressupõe novidades.

Vale a pena uma conferida nas passarelas e verificar as tendências de corte e cor. Se a mudança for radical não vale a pena investir em algo que já esteja antigo e nem combina muito com você, só porque todo mundo que é jovem anda usando.

Divas podem tudo, mas o ideal é optar pelo que cai melhor. Então vamos ver algumas dicas:

Em primeiro lugar um bom tratamento. Corte e hidratação são ideais para uma aparência saudável e nada mais jovial do que saúde, não é? Isto inclui a manutenção com um bom shampoo e condicionador – reparador de pontas é maquiagem e não tratamento.

Também não abuse de secador e chapinha, eles retiram a umidade dos fios ressecando o cabelo e danificando.

Nem platinado e nem preto: dois erros comuns quando os brancos começam aparecer.

Se quer clarear os cabelos consulte um profissional para indicar seu melhor tom de loiro. Os platinados geralmente ficam melhores em mulheres mais jovens, prefira tons dourados.

Os escuros também incorrem nos erros mais comuns. Nunca escolha o totalmente preto opte por um ou dois tons abaixo do seu, o resultado será mais natural.

Em qualquer opção a cor não deve se afastar do seu tom de pele, prefira sempre o que for mais próximo do natural.

Desengaveta!

Nas últimas semanas venho acompanhando o novo programa do GNT – Desengaveta, onde a apresentadora invade o closet de uma celebridade, seleciona algumas peças que supostamente estariam sobrando e estas são colocadas a venda pela internet, ao final da apresentação, na lojinha do Desengaveta. Arquivo_000 (1)

Parte da renda é revertida para a área de ações voluntárias do INCA, mas o diferencial é que as peças pertencem a celebridades como Gabriela Pugliese, Astrid Fontenele, MC Guimê, Isabella Fiorentino, entre outros.

Fernanda Paes Leme comanda este novo quadro do canal pago e incentiva famosos e celebridades a se desapegarem de itens a mais ou sobrando em seu closet.

Já foram negociadas 306 peças e a lojinha conta com quase 50.000 seguidores.

Estamos falando do conceito de brechó, que recentemente fiz um post aqui no meu blog.

No caso o estímulo é a peça que pertenceu a um famoso, ou celebridade, mas você não deixa de estar arrecadando algo que já foi usado anteriormente, então por que o preconceito?

Quase que diariamente faço posts de looks compostos de peças que já fazem parte do meu closet, cuja intenção é mostrar que podemos reorganizar o que temos em casa e que nem sempre são necessárias peças de coleções novas para sermos elegantes.

Algumas coisas merecem ser “arquivadas” e não me refiro apenas a peças

clássicas, mas aquelas com um detalhe ou cor/print difíceis de se encontrar a não ser quando viram tendência ou moda.

Outras podemos reciclar customizando, ou fazendo doações, ou é mesmo mandando para um brechó e neste caso até obter algum rendimento, por que não?

Fico muito satisfeita em ver que a crise vem libertando os brasileiros deste preconceito e um número cada vez maior vem aderindo a esta prática tão comum no resto do mundo.

Não vamos nos esquecer também do quesito sustentabilidade, fazendo com que o item circule, ao invés de termos que ampliar espaços para armazenamento, ou lixo, o que é muito pior.

Existem também os brechós beneficentes, que são verdadeiras correntes do bem. Você doa a peça, ou um acessório e tudo é vendido a preços ínfimos e a renda convertida em alimentos e remédios para pessoas carentes, como faz o NUVOCH – Núcleo de Voluntários do Hospital de Clinicas da Unicamp – uma ong que mantém um brechó na entrada do pronto atendimento do hospital de clínicas em Barão Geraldo – para fazer doação basta levar até lá, ou entrar em contato http://www.hc.unicamp.br/nuvohc

Como vê, os brechós só apresentam vantagens, basta deixar de lado seu preconceito!