Vinhos Gregos #winetips

Eu estou adorando compartilhar as dicas sobre vinhos do meu amigo José Lucio Natali, sempre uma passada em algum cantinho desconhecido ou pouco explorado por nós neste vasto universo.

Já diz a máxima que com relação aos vinhos, ao contrário do amor, não se deve ser fiel. Então que tal sair da rotina e partir para a encantadora Grécia.

“O vinho na Grécia remonta a mais de 4.000 anos, onde Dionísio, filho de Zeus, reinava como o deus do Vinho.  47b799_38fb55aa454d48f99cd27b69541a0678-mv2

A vinícola TETRAMYTHOS destaca-se por pequena produção e qualidade esmerada, justificando cada experiência.

Destacamos um branco RETSINA, feito a partir de uvas Roditis, com a particularidade da adição de resina de pinheiro durante a fermentação, na proporção de 1kg de resina para 1.000 litros de vinho. O resultado é um vinho muito fresco, do qual disse a conceituada Jancis Robinson: “ Fabuloso aperitivo. Vale realmente provar independente do que você ache das Retsinas e das coisas horríveis que você já deve ter experimentado antes.”

O tinto grego que vamos destacar é o Mavro Kalavritino 2015, de videiras com quase 30 anos, 12,5 graus de álcool, redondo e ágil na boca, com final terroso e frutado. A uva Kalavritino é uma de muitas variedades autóctonas gregas que surpreendem no aroma e no paladar.

Os vinhos gregos permitem novas experiências, com antigas tradições.”

José Lúcio Natali

Decanter Campinas

@decantercampinas

www.facebook.com/DecanterCampinas

(19)9.9304.0554

(19)3255.6585

 

O português da vez #winetips

A dica desta semana do querido amigo José Lúcio Natalli é um português , classificado como o 5º melhor vinho do ano pela prestigiada revista norte-americana Wine Enthusiast publicou, na edição de Dezembro, o TOP 100 dos melhores vinhos de 2016, distinguindo o José de Sousa 2014, classificado com 93 pontos e considerando-o “Editor’s Choice”

“Para quem procura grandes emoções e ótimas lembranças: vinho português JOSÉ DE SOUSA MAYOR – 2014.

Feito a partir de uvas Grand Noir (60%), Trincadeira (30%) e Aragonez (10%)

Pisado a pé em Lagares e fermentado em Ânforas de barro.

Depois, 9 meses em barricas de carvalho francês.

Por não ser filtrado pode criar depósitos no fundo da garrafa.

Resultado: vinho potente, 14,5% vol., taninos marcados.

Feito pelo enólogo Domingos Soares Franco, representante da sexta geração da família e primeiro enólogo de Portugal a se formar na prestigiosa Universidade de Davis, na Califórnia.

Se experimentar não vai se esquecer deste vinho!”

@joselucionatali

@decantercampinas

 

Vinhos para o Dia das Mães #winetips

O almoço do Dia das Mães é uma data que fazemos questão me marcar com tudo muito especial, afinal com a correria em que vivemos não são todos os dias que lembramos de homenageá-las da forma como realmente merecem.

Meu amigo José Lúcio Natalli me enviou uma sugestão muito especial para esta almoça.

“O Dia das Mães é ocasião de encontro de família, dia para rever parentes, diversão e risadas garantidas.

No almoço de comemoração os vinhos precisam agradar diferentes paladares e acompanhar pratos variados segundo cada tradição familiar.

A sugestão é começar com um vinho rosé para aperitivo vindo do Languedoc – França: Claude Val Rosé, eclético para agradar a todos, de uvas Grenache, Cinsault e Syraz.

Para o prato de peixe um toscano Orvieto Classico, da italiana Rocca Delle Macie, de uvas Trebbiano, Verdello e Grechetto, sem passagem por madeira e excelente acidez.

O acompanhamento da carne vermelha pode ser um Terranoble chileno, Reserva Carménère com taninos agradáveis e leve passagem por madeira.

Ah! Todos por menos de R$100 na Enoteca Decanter – Gramado Mall.”

@decantercampinas

 

 

Casa Geraldo Shiraz #winetips

O Vinho Casa Geraldo Shiraz é um jovem varietal elaborado com uvas da casta Shiraz produzidas em seu próprio vinhedo, em Andradas, na região Sul de Minas Gerais, onde eu tive o prazer de estar no último final de semana.

É o primeiro exemplar Safra 2012, com edição limitada. Um vinho de cor vermelho rubi brilhante, escuro e profundo. Possui aromas com notas de amora, ameixa preta e especiarias. Na boca é um vinho potente mas equilibrado, de taninos firmes e de caráter levemente mineral. Seu amadurecimento foi apenas três meses em barricas de carvalho americano, deixando destacar ainda a lembrança de sua fruta.

Pude degustá-lo durante o almoço na vinícola e confesso que me surpreendi.

Premiado com Medalha de Ouro no 10º Concurso Mundial de Bruxelas – 2013

O estado de São Paulo vem produzindo vinhos de qualidade graças ao método da colheita invertida, onde as uvas são colhidas no inverno, estação com temperaturas quentes de dia e frias a noite e sem chuvas.

Vale a pena conferir.

Vamos harmonizar? #winetips

E já que o friozinho chegou fica bem mais agradável falarmos sobre vinho e agora  com nosso segundo encontro da confraria se aproximando resolvi me arriscar nos meus palpites enogastronômicos , dai a minha idéia do post de hoje, porque conhecer um pouco sobre vinhos é muito mais simples do que imaginamos.

“Mas por que conhecer sobre os vinhos e sua harmonização, eu bebo e pronto” , é o que eu ouço com frequência. Eu não sou grande conhecedora dos vinhos, como já mencionei, mas sou uma apreciadora e portanto estou sempre atenta aos comentários de quem conhece e sempre que tenho oportunidade faço algum curso ou participo de alguma degustação e eventos relacionados.

Aprender o básico sobre harmonização nos ajuda a extrair o melhor do vinho e do prato que o acompanha, então vamos lá.

Quando for abrir um vinho para acompanhar uma refeição pense primeiro no que vai comer e depois escolha que tipo de uva e não se preocupe neste momento com a região ou produtor ou se for um “vinho barato”, pois é assim que iniciamos. Quando alguém me pergunta que vinho quero beber eu costumo responder: o que vamos comer? E qual a razão disto? Muito simples.

Quantas vezes você não disse ou ouviu que o vinho era ruim? Sim, porque nunca acusamos a comida de estar ruim ou errada, pois então. Geralmente o  vinho também  é bom, a sua escolha de combinação é que não foi das melhores, ou foi mal orientada.

Carne vermelha e vinho tinto combinam e pronto. Não é bem assim. Fatores como gordura ou a suculência das carnes influenciam no sabor final desta combinação e daí o termo harmonização, afinal o que vive em harmonia fui melhor.

A  dica de hoje é o contra filé e para ficar dos deuses aqui vai. Esta carne tem dois cortes famosos,o chorizo e o ancho. Hoje vamos de chorizo,  parte mais próxima do traseiro do animal, é uma carne mais compacta, menos gordurosa e menos macia que o bife ancho, porém igualmente saborosa.

Aqui podemos pensar em tintos com maior tanino, que deve agir com mais propriedade frente à suculência e fibrosidade da carne.

Vinhos como Cabernet Sauvignon, Tannat e Petit Verdot são extremamente apropriados.

O importante é percebermos que quando o teor de gordura intrínseca à carne aumenta, há necessidade de maior acidez do vinho, sem que os taninos sejam tão evidentes, que seria o caso do ancho. Mas este será nosso próximo post.

O vinho harmonizado com o bife de chorizo da foto, que eu saboreei com imenso prazer é um  chileno, Montes reserva 2014 cabernet sauvignon, um vinho na faixa $ 70,00 e portanto bem acessível.

Viu só? Não precisamos ser expert em vinhos, ou sommeliers e nem mesmo investir uma grande quantia para que o melhor dele seja extraído.

Assim pude extrair o melhor com meu filé acompanhado de vinho.

 

Dicas do Lúcio #winetips

Estou adorando compartilhar estes posts com dicas sobre vinhos do meu amigo José Lúcio Natali e como ele mesmo diz, ao contrário do amor, a relação com vinhos deve ser totalmente infiel, ou seja, procure não ficar sempre na mesma uva, ou no mesmo produtor, ou região. Arrisque-se em novas aventuras e descubra uma infinidade de prazeres.

“Guardar vinhos deitados só tem um motivo: molhar a rolha para que ela se expanda e se adapte perfeitamente às imperfeições da parte interna do gargalo da garrafa de vinho.

Portanto, se a tampa do vinho não é de cortiça, mas de rosca (corkscrew), o vinho pode ser guardado em pé, muitas vezes economizando espaço na sua adega ou armário.

E os espumantes, todos, podem também ser guardados com a garrafa em pé. Aliás, esta história de “vinho quanto mais velho melhor” não vale para a grande maioria dos espumantes. Comprou, descansou uma semana na sua casa, já pode abrir.

Falando em espumantes, vale a pena experimentar a linha BOSSA, tanto o brut como o prosecco, ideais para um happy hour com os amigos, acompanhando torradinhas e patês.

Outra dica talvez mais apropriada para esta época.

O vinho ideal para acompanhar bacalhau é o vinho verde.

Estes são vinhos produzidos em Portugal, na região do Minho, com paisagem exuberante e verde de suas plantas, e daí o VERDE.

A uva mais emblemática da região é a Alvarinho (que na Espanha é Albarinho), além da Loureiro.

São vinhos frescos e acompanham todas as preparações de peixes como o bacalhau.

O enólogo Anselmo Mendes faz, sem dúvida, os melhores Alvarinhos de Portugal na zona de Monção, tendo sido reconhecido como “Enólogo do Ano” pela Revista de Vinhos em 1997. “

José Lúcio Natali

Decanter Campinas

(19)9.9304.0554

(19)3255.6585

@joselucionatali

@decantercampinas 

Vinho no trem

Inspirados em winetrains que acontecem em cidades vinícolas pelo mundo, a sommelière Ana Paula Pereira, a Cheff de cozinha Viviane Ávila e o publicitário Emerson Rodrigo Greggio realizarão no dia 3 de junho o  evento, inédito em Campinas.

A 1ª Mostra Vinho no Trem, resultado desta parceria, já é sucesso. Para participar, os interessados comprarão um convite, embarcarão na Maria Fumaça que partirá da Estação Anhumas e desembarcarão na Estação Tanquinho, 24 quilômetros à frente, onde diversos expositores oferecerão dezenas de rótulos para degustação e venda. A duração do programa será de 5 horas.

Ainda não esta definida a relação de expositores – deverão ser 14 ao todo, mas um deles será a Excelência Vinhos, loja instalada em Campinas.

Conforme os organizadores, a mostra contará com ampla infraestrutura, o que inclui serviço de receptivo, limpeza, banheiros, segurança, ambulância e mesa com comidas, frutas e água. Também haverá apresentações musicais ao longo do evento. O convite individual custará R$170, sendo que R$ 20 serão revertidos para a compra de produtos expostos.

O público esperado para a 1ª Mostra Vinho no Trem é de 200 pessoas. A Maria Fumaça partirá da Estação Anhumas às 15h. É recomendado que as pessoas cheguem 30 minutos antes. Na chegada, os passageiros serão recepcionados com uma taça de espumante. O retorno, também de trem, mas numa composição movida a diesel, será às 20h.

Os interessados em adquirir convites ou em expor produtos devem fazer contato pelo e-mail: contato@vinhonotrem.com.br

O vinho da Páscoa #winetips

Mais uma vez tenho a alegria e o prazer de compartilhar com vocês as dicas do querido José Lúcio Natali, da Decanter Campinas sobre vinhos e harmonizações, então vamos lá!

“A Páscoa está chegando e eu digo: não confunda “ovinho de Páscoa” com O VINHO DA PÁSCOA!

E como todos vão ter à mesa bacalhau ou outros tipos de peixe, o VINHO VERDE de Portugal logo vem à mente como acompanhamento ideal.

O Enólogo português Anselmo Mendes faz vinhos brancos absolutamente radiosos, perfeitos no equilíbrio, agradáveis ao paladar e razoáveis com o bolso.

Na Enoteca Decanter – Gramado Mall –  você encontra os vinhos do Anselmo Mendes e outros feitos com a uva Alvarinho, casta maravilhosa, para que na sua reunião de Páscoa não haja confusão. A partir de R$90 o vinho da Páscoa será um vinho de alvarinho

E não deixe faltar um ovinho de Páscoa. E um chocolate delicioso, combina com vinho? Combina muito, mas esta já é outra história, que contamos depois.” 47b799_78c5b3597f9c4d5e8923b2f7439f574a-mv2

 

José Lúcio Natali

Decanter Campinas – @decantercampinas

(19) 9.9304.0554

(19)3255.6585

 

Homenageie ela com vinho #winetips

Além de conhecedor de vinhos, o querido José Lúcio Natali da Enoteca Decanter Campinas, é um grande admirador das munheres e portanto conhecedor do bom gosto feminino e da nossa incessante busca pelo bom aliado ao melhor custo.

Vamos então a preciosa seleção desta semana:

” Os vinhos CHLOE fazem referência à palavra grega para “florescer”.47b799_b14c42e63f3e49fa8a64f5a496de6e35-mv2
Nasceram da associação de dois gigantes na produção de grandes vinhos, a Peñaflor da Argentina e o The Wine Group dos Estados Unidos.
A enóloga romena Georgetta Dane, famosa por seus vinhos californianos, elaborou vinhos clássicos e atemporais, com uma linha de brancos e tintos, como uma coleção de moda.
Os vinhos são feitos em Salta, onde as maiores altitudes compensas as latitudes mais baixas e garantem a expressão sedutora da fruta e os sabores luxuosos.
Os brancos são Torrontés e Sauvignon Blanc, e os tintos com Pinot Noir e Malbec. Quatro uvas encantadoras.
Nesta semana em que se comemora o Dia Internacional da mulher os vinhos da Georgetta ganham ainda mais expressão.
E da França que cria moda, lança cosméticos e define padrões de beleza, vem os insinuantes vinhos ARROGANT FROG, da região do Languedoc, mostrando que podem ser feitos vinhos orientados ao mercado (ótimo custo/benefício) sem a arrogância de desprezar o Novo Mundo. Vamos conhecer estes vinhos de bom preço/prazer?
Na Enoteca Decanter – Gramado Mall estes e outros vinhos esperam as mulheres nesta semana especial.
E seu grupo pode encomendar um curso de vinhos exclusivo, divertido e esclarecedor. Esta pode ser uma agradável surpresa para comemorar aniversários, vitórias, encontros e desencontros …”
Arquivo_000

Vinho em qualquer estação #winetips

A novidade desta semana é que meu querido amigo José Lúcio Natali da Enoteca Decanter Campinas, aceitou meu convite para nos brindar com dicas periódicas sobre vinhos, que carinhosamente iremos referenciar como #winetips, e olha só a primeira!

“Oito entre dez apreciadores de vinhos italianos que programam um passeio incluindo vinícolas e castelos (quase sempre juntos) passamalguns dias na linda Toscana, onde são produzidos os deliciosos chiantis e os apreciados montalcinos. 47b799_45c95105cbe04e6baed788a817aec9bd-mv2

Pois hoje vou sugerir que você amplie seus horizontes e passe alguns dias na Lombardia, no norte da Itália, terra das uvas barbera e nebiolo. Lá você encontra os maravilhosos vinhos Barolo, harmonização perfeita com “tagliolini freschi al tartufo bianco”.

Vale a pena destacar a ARPEPE, da família Pelizzatti Perego, cujos vinhos mostram quão sensacional pode ser um grande Nebbiolo de montanha. O Rocce Rosso entrou na lista dos 100 maiores vinhos do mundo do Sommelier Luca Gardini. O Vigna Regina conquistou nota máxima (5 grappoli) do guia Bibenda e 92 pontos no Vinous de Antonio Galloni.

Estes e outros vinhos você encontra na Decanter – Gramado Mall, que além de boas garrafas serve taças para seu happy hour de segunda a sábado.

Aliás, nossa recomendação é para você variar sempre, mudando de região a cada viagem. Afinal, em vinhos, contrariamente ao amor, a infidelidade é fundamental.”

Enoteca Decanter Campinas

Alameda dos Vidoeiros, 455 – Bairro das Palmeiras, Campinas – SP, 13101-680
Telefone: (19) 3295-1994